Qual a importância da refrigeração no agronegócio?

O agronegócio, ligado à indústria alimentícia, exige uma logística que permita manusear, conservar e transportar os alimentos de acordo com as normas de agências reguladoras e exigências internacionais, quando exportados.

Um dos principias elementos dessa cadeia é a refrigeração, que atende a um amplo segmento da indústria alimentícia, levando os produtores a investirem em processos e equipamentos para garantir a qualidade dos produtos. As oportunidades residem em aplicar, ampliar e melhorar o controle de temperatura nas várias etapas das cadeias produtivas.

Versatilidade

Os equipamentos de refrigeração devem ser flexíveis e atender as características da agricultura rotativa para absorver várias safras de diferentes produtos. Cada grão/semente tem características próprias de conservação, controle de desenvolvimento de fungos, perda de água e controle de germinação, o que determina a necessidade específica de refrigeração.

A principal característica é a busca pela preservação do produto na sua forma original, com a menor perda possível da qualidade e quantidade. As sementes, em contato com um ambiente que tem oscilações de umidade, têm a propriedade de absorver ou liberar água para o ar que as envolve, ou seja, mesmo depois de secas, ao entrarem em contato com um ambiente úmido, absorverão água novamente.

Portanto, se as sementes ficarem armazenadas em um ambiente onde a umidade oscila, estarão sujeitas a estragar com mais facilidade. Assim, um sistema de refrigeração bem projetado é que vai garantir o sucesso do processo.

Modernização na conservação de alimentos

A manutenção da cadeia do frio e o controle de qualidade são fundamentais para assegurar as boas condições dos produtos, proporcionando segurança ao consumidor. A instalação de modernos sistemas de refrigeração, além de atuar na conservação do alimento, permite a otimização do uso da energia.

Os equipamentos que funcionam próximos aos ambientes do agronegócio (plantações) necessitam de algumas características adicionais, como robustez, durabilidade, confiabilidade técnica, reserva de capacidade frigorífica e flexibilidade operacional frente à constante variação de demanda de carga térmica. Isto não elimina a necessidade de serem simples de operar, seguros e de fácil manutenção.

Por: Genivaldo OJ

Fonte: Revista Campos e Negócios